Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

My Books News

My Books News

Carolina Maria de Jesus - Quarto de Despejo

Diário de uma favelada

IMG_20210601_100326_369.jpg

Foi num artigo do Público, se a memória não me falha, que este Quarto de Despejo se tornou um objecto de desejo. Saiu da impressora em Abril de 2021 e está lido. É extraordinário que este livro, amplamente traduzido, só agora tenha chegado a Portugal, depois de uma tentativa frustrada em 1960, quando foi proibido por Salazar.

 

Quarto de Despejo é o diário de Carolina Maria de Jesus, que vive numa favela (Canindé) com os seus três filhos pequenos e abrange os anos de 1955-59.

O seu dia-a-dia era uma luta pela sobrevivência, passando os dias a recolher papel e ferro velho pelas ruas, o que mal dava para comer.

Aliás, a fome é o motor e a sensação dominante do seu diário. Este é, também um diário da fome.

 

E a fome domina também o seu papel de mãe: a luta diária é ter o que dar de comer aos seus filhos:

 

Como é horrível ver um filho comer e perguntar: "Tem mais? Esta palava "tem mais" fica oscilando dentro do cerebro de uma mãe que olha as panelas e não tem mais.

 

A sua filha (professora), haveria dizer que nunca conseguiu ler o livro da sua mãe de forma completa, tal é a emoção.

 

E com a fome, a revolta por um país desperdiçado por quem deveria governar as suas riquezas.

 

... Eu estou começando a perder o interesse pela existência. Começo a revoltar. E a minha revolta é justa.

 

(...) A democracia está perdendo os seus adeptos. No nosso paiz tudo está enfraquecendo. O dinheiro é fraco. A democracia é fraca e os políticos fraquissimos. E tudo que está fraco, morre um dia.

... Os políticos sabem que eu sou poetisa. E que o poeta enfrenta a morte quando vê o seu povo oprimido.

 

Carolina são todas as mulheres que se indignam pelos ataques à sua condição de mulher, são todas as mulheres negras que vivem diariamente o racismo, todas as mães que lutam por dar uma vida digna aos seus filhos, todas as cidadãs que se revoltam contra a corrupção e a iniquidade dos governantes.

 

É uma incrível e maravilhosa coincidência que tenha lido este Quarto de Despejo, no mesmo ano em que finalmente li A Room of One's Own de Virginia Wolf, o retrato de duas escritoras tão distinto quando distintas.

 

Mas como dizia Carolina Maria de Jesus:

na minha opinião escreve quem quer

 

E na minha opinião, todas/os a devem ler.

 

O livro perfeito para o #blackathon e para o #lerosclássicos2021 de Junho (clássico lusófono: publicado em 1960).

[Para aSusanita: É um livro único.]

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

subscrever feeds

SCRIBD - 1 mês grátis para mim e 2 para vós

Se decidirem fazer uma inscrição grátis no SCRIBD, poderiam utilizar o meu convite? Eu receberei 1 mês grátis e a/o convidada/o receberá 2 meses grátis, em vez dos habituais 30 dias grátis.https://www.scribd.com/g/62ck8b