Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

My Books News

My Books News

Ler Palestina

30.03.24
 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Deen Book Club (@deenbookclub)

 

 

Não ficção :
They called me a Lioness - A. Tamimi & Dena Takruri
On P - N. Chomsky & Ilan Pappé
Gaza: An Inquest into Its Martyrdom - Norman Finkelstein

Ficção :
Against the Loveless World -  Susan Abulhawa
In my Mother’s footsteps - Mona Hajjar Halaby
Salt Houses - Hala Alyan 

 

Outros livros no meu radar: 

The Biggest Prison on Earth: A History of the Occupied Territories -Ilan Pappe

Method and Madness: The Hidden Story of Israel's Assaults on Gaza - Norman G. Finkelstein

 

 

 

Funny Story de Emily Henry é simplesmente perfeito

23.03.24

Estava mesmo a precisar de uma história assim: amor pelos livros e bibliotecas, pessoas decentes, humor e um final feliz. Como a vida deveria ser.

 

Funny Story de Emily Henry é simplesmente perfeito. Acho mesmo que é possivelmente o meu livro preferido da autora.

 

A história gira em torno de Daphne, uma bibliotecária infeliz cujo noivo (nas vésperas do casamento de ambos), Peter, a trocou pela sua melhor amiga de infância, Petra.

Como a casa estava no nome dela e ele fez questão que ela saísse rapidamente, Daphne decide ir morar com Miles, o ex e também traído por Petra. Uma situação que vai levar à atracção dos opostos. Daphne é introvertida e organizada, Miles é extrovertido e impulsivo e juntos são divertidíssimos.

 

Emily Henry tem o dom de criar personagens inesquecíveis e diálogos absolutamente hilariantes e inteligentes. As suas personagens nunca são perfeitas e as situações que criam são sempre temperadas com uma boa dose de humor. 

 

Adorei, em especial, os apontamentos sobre os estranhos leitores da biblioteca. E que dizer da surpresa de ver Portugal e os seus pastéis de nata como uma referência na história? Perfeito. 

 

Em suma, um livro leve, inteligente e bem humorado.

Leituras de Fevereiro - Palestina

21.03.24

1.PNG 2.PNG

Não é coincidência que tenha lido estes dois livros em Fevereiro, sobre Palestina para me situar e educar sobre o inenarrável que têm sido os últimos meses.

A primeira conclusão é que não foram meses... foram anos e a segunda conclusão é que eu não fazia ideia do que não sabia.

1.PNG

Comecei (embora tenha terminado depois por A Day in the Life of Abed Salama by Nathan Thrall (Audiobook)1, que descobri numa newsletter É Desta Que Leio Isto:

Um acidente de autocarro não é só um acidente. No caso da Palestina, é a história de um país

 

Esta frase resume perfeitamente a obra, porque realmente senti que o desenrolar do enredo (que pensei que fosse ficção) acompanha a história da Palestina, que é um mosaico do sofrimento, sonhos e vidas despedaçadas por uma crise com mão humana, perfeitamente evitável.

 

A história começa com um acidente de viação que envolveu um autocarro escolar e todas as vidas que se cruzam com esse: os pais, as crianças (8 não sobreviveram), os socorristas, o motorista, os professores, os médicos, os israelitas (que detendo o poder de evitar e socorrer, nada fazem).

Uma tragédia cruel, que se cruza com a história da Palestina, descrevendo as tensões sociais, as vidas definidas pelo apartheid, a procura da felicidade, apesar de tudo.

 

É um livro de uma tristeza devastadora. Chorei pelas crianças e os pais retratados, chorei pelos que actualmente são vítimas de um horrível genocídio. 

É impossível não sentir o desespero de pais à procura dos filhos entre hospitais, rumores, impedidos de continuar por causa dos checkpoints israelitas, sem saber se os filhos estão vivos ou mortos.

Um livro que é um testemunho ao sofrimento humano da injustiça que é ter a má sorte de nascer no local errado.

F89z1TNX0AA3znr.jpg

Recomendo vivamente que sigam as redes sociais do fotógrafo mahmoudbassam8

1Inscrição aqui, para receberem 60 dias grátis de serviço Everand (ex-Scribd), onde podem ter acesso a livros e audiobooks gratuitamente.

 

 

2.PNG

Onde andava eu que não tinha lido Alexandra Lucas Coelho, apesar de a ter (eternamente) na minha TBR? As minhas constantes queixas em relação à pobreza de bons livros de não ficção nacionais, foram infundadas. 

 

E a Noite Roda é o primeiro romance de Alexandra Lucas Coelho e venceu Grande Prémio de Romance e Novela APE 2012

Este livro, sendo de ficção, tem uma forte componente de não ficção, explorando o conflito Israelo-Palestiniano. Foi precisamente essa componente de história e política que me encheu as medidas. 

 

Ana, uma jornalista catalã, e Léon, jornalista belga, encontram-se em Jerusalém na véspera da morte de Yasser Arafat. Esse encontro marca o início de uma narrativa que os leva por várias cidades, desde a Faixa de Gaza até à Mancha de Quixote, entrelaçando uma paixão intermitente com os eventos históricos que determinam as suas deslocações.

 

O som entra pelo quarto como um encantador de serpentes, enlaça-nos. Flutuamos sobre Gaza. Somos um.

 

Este veio da biblioteca municipal, mas fiquei tão rendida à autora que não resisti a comprar imediatamente Oriente Próximo. 

550x.webp