Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

My Books News

My Books News

7 Livros para Cultivar Empatia e Compreensão Multicultural

13.06.24
 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Juliet Diaz (@iamjulietdiaz) 

 

 

Pedi ao AI para me apresentar cada um dos livros e, com excepção do que já li (ouvi no Everand), entram todos para a minha TBR.

Para estes livros, que raramente aparecem no plano editorial português, o Everand é particularmente útil.

Embora tenha encontrado os títulos na Wook, com um amplo catálogo de importação, assinalei apenas quando o título está traduzido para o português. 

 

"Evil Eye" - Etaf Rum Everand
Neste romance envolvente, Etaf Rum explora a vida de uma mulher palestino-americana que luta contra as tradições opressivas da sua cultura enquanto tenta encontrar a sua própria identidade nos Estados Unidos. Através de uma narrativa poderosa, o livro convida os leitores a sentir empatia pelas complexas dinâmicas familiares e os desafios culturais enfrentados pela protagonista.

 
"Uma Mulher Não é um Homem" - Etaf Rum Wook

Aditado por mim

Este romance surpreendente leva-nos numa viagem às vidas das mulheres árabes que vivem nos Estados Unidos e ao impacto que a cultura patriarcal pode ter no seu silêncio, ainda nos dias de hoje.

 

 "They Called Me A Lioness: A Palestinian Girl’s Fight For Freedom" -  Ahed Tamimi, Dena Takruri
Esta autobiografia conta a história de uma jovem palestiniana que luta pela sua liberdade e pelos direitos do seu povo. O livro oferece uma perspetiva íntima e pessoal sobre o conflito israelo-palestiniano, permitindo aos leitores entenderem melhor a resistência e a resiliência dos palestinianos através dos olhos de uma jovem determinada.

 

"Yellowface" - R.F. Kuang Lido Everand Wook
"Yellowface" aborda temas de apropriação cultural e identidade no mundo literário. A história segue uma escritora que rouba o manuscrito de uma amiga asiático-americana falecida e publica-o como seu. Este romance provoca reflexões profundas sobre raça, privilégio e o preço da ambição, convidando os leitores a refletirem sobre a autenticidade e a justiça.

 

"They Poured Fire on Us From the Sky: The True Story of Three Lost Boys from Sudan" -  Benjamin Ajak, Benson Deng, Alephonsion Deng

Este relato autobiográfico narra a incrível jornada de três rapazes sudaneses que fogem da guerra civil no seu país. Atravessando desertos e enfrentando perigos inimagináveis, a história deles é uma poderosa ilustração da resistência humana e um convite à empatia pelas vítimas de conflitos em todo o mundo.

 

"River Spirit" - Leila Aboulela Everand
Situado no Sudão do século XIX, "River Spirit" é uma narrativa rica e evocativa que segue a vida de uma jovem chamada Zamzam. O livro mergulha nos temas de colonialismo, identidade e espiritualidade, oferecendo aos leitores uma compreensão profunda das lutas internas e externas dos personagens.

 

"White Tears/Brown Scars: How White Feminism Betrays Women of Color" - Ruby Hamad
Nesta análise incisiva, Ruby Hamad examina como o feminismo branco tem historicamente marginalizado as mulheres de cor. Através de exemplos históricos e contemporâneos, o livro desafia os leitores a reconhecerem e confrontarem os preconceitos e as desigualdades dentro dos movimentos feministas, promovendo uma compreensão mais inclusiva e empática. 

Este título interessa-me bastante, por isso fui à procura dele e encontrei o ebook na Wook por apenas 3.99€

 

"Black on Both Sides: A Racial History of Trans Identity" - C. Riley Snorton Everand
C. Riley Snorton oferece uma investigação profunda sobre a interseção entre raça e identidade trans. O livro traça a história das identidades trans negras, destacando como estas têm sido moldadas e desafiadas por contextos raciais e sociais. Esta obra fundamental encoraja os leitores a desenvolverem empatia e compreensão para com as experiências trans negras.

Vamos a Contos?

12.06.24

Há cerca de 20 anos, fui "educada" para a importância do género "conto". Até essa data, o meu conhecimento resumia-se aos contos de Miguel Torga. Ponto Final.

 

Participar no blog Leitura Partilhada, foi a minha primeira apresentação à diversidade da literatura, embora ainda bastante afunilada, para o meu actual conceito de diversidade. 

 

Mas foi aí que comecei  a ler contos "a sério". E isso, naturalmente passou pela excelente revista de contos Ficções, com direcção de Luísa Costa Gomes.

 

Eu tenho vários números que fui encontrando na WinkingBooks (tenho sempre um no porta-luvas do carro), mas elas estão completamente GRATUITAS PARA DOWNLOAD na página do Instituto de Camões.

contos.JPG

Já agora, aproveito para partilhar o meu top 3:

Herberto Helder - Teorema

Jorge Luis Borges - Biblioteca de Babel

Sherley Jackson - Loteria

 

Sugestões do arquivo do Leitura Partilhada:

Eça de Queirós - Um poeta lírico
Agustina Bessa-Luís - O Rato
Maria Ondina Braga - Natal Chinês
Herberto Helder - Teorema
Ant. Lobo Antunes - A véspera de morrer estrangulada
Manuel Jorge Marmelo - O Homem das Gaivotas
Hans Christian Andersen - A pastora e o Limpa-chaminés
D.A.F. Sade - A Beata Falsa
Guy de Maupassant - O Medo
Isaac Babel - História do meu pombal
Tchekhov - A Brincadeira
Kafka - Um médico de Aldeia
James Joyce - Eveline
Hermann Hesse - As Mutações de Piktor
Gao Xingjian - O Acidente
Edgar Alan Poe - O Gato Preto
Javier Marías - Na Viagem de Núpcias
Jack London - A Lei da Vida
Paul Auster - A história de Natal de Auggie Wren
Jorge Luis Borges - Biblioteca de Babel
Gabriel Garcia Marquez - O avião da Bela Adormecida
Juan Rulfo - Deram-nos terra
Clarice Lispector - A Galinha
Otto Lara Resende - Gato gato gato
Rachel de Queiroz - Tangerine-girl
Luiz Ruffato - A Demolição
Mia Couto - O novo padre

 

(até hoje, não li vários destes contos)

2024 Women's Prize for Non-Fiction

10.06.24

w4.JPG

w3.JPG

  • Thunderclap: A Memoir of Art and Life and Sudden Death - Laura Cumming [Memórias de Arte; História Familiar]
  • Doppelganger: A Trip Into the Mirror World - Naomi Klein [Identidade; Realidade Paralela; Teorias da Conspiração; Internet; Exploração Pessoal]
  • A Flat Place - Noreen Masud [Paquistão; Reflexão Pessoal; Natureza]
  • All That She Carried: The Journey of Ashley’s Sack, a Black Family Keepsake - Tiya Miles [Escravatura; História Afroamericana; Herança Familiar; Cultura e História]
  • Code Dependent: Living in the Shadow of AI - Madhumita Murgia [Tecnologia e Humanidade; Futuro Digital; Dependência Tecnológica; Ética da IA; Privacidade] [Audiobook em Everand]
  • How to Say Babylon: A Jamaican Memoir - Safiya Sinclair [Jamaica; Identidade Cultural; Superação Pessoal; Histórias de Vida] [Audiobook em Everand]

 

Confesso que este ano estou particularmente interessada em todas as nomeadas.

Sou só eu a achar que o leque de finalistas de 2024 - ficção e não ficção - é particularmente interessante?

E a lista longa de finalistas tem títulos igualmente interessantes, como:

 

Shadows at Noon, de Joya Chatterji: "Esta é a história oficial do Sul da Ásia no século XX. (...) Ao contrário de outras histórias da região que se concentram exclusivamente na política, aqui a alimentação, o lazer e a família recebem tanta importância como a nacionalidade, a migração e o Estado."

 

Eve, de Cat Bohannon: "Com curiosidade sem limites e perspicácia afiada, ela cobre os últimos 200 milhões de anos para explicar a ciência específica por trás do desenvolvimento do sexo feminino. Eva não é apenas uma revisão abrangente da história humana, é uma correcção urgente e necessária para um mundo que se concentrou principalmente no corpo masculino durante demasiado tempo."

 

Some People Need Killing, de Patricia Evangelista: Some People Need Killing é a crónica meticulosamente relatada e profundamente humana de Evangelista sobre a guerra às drogas nas Filipinas. Durante seis anos, Evangelista narrou os assassinatos cometidos por policiais e vigilantes em nome da guerra contra as drogas de Duterte – uma guerra que levou ao massacre de milhares de pessoas – mergulhando no mundo dos assassinos e sobreviventes e capturando a atmosfera de medo criada. quando um presidente eleito decide que algumas vidas valem menos que outras.

 

Vulture Capitalism, de Grace Blakeley: Em Vulture Capitalism, a aclamada jornalista Grace Blakeley enfrenta as corporações mais poderosas do mundo, mostrando como as causas da nossa crise moderna são o resultado pretendido do nosso sistema capitalista. Não está quebrado, está funcionando exatamente como planejado. Do JPMorgan à Boeing, de Henry Ford a Richard Nixon, Blakeley mostra-nos exactamente onde o capitalismo da fase avançada falhou.

 

Tantos livros, tão pouco tempo... e dinheiro.

2024 Women's Prize for Fiction

10.06.24

Foto com capas dos livros nomeados

Foto com capas dos livros nomeados

Links de conta afiliada na Wook (para alimentar o vício)

 

Um dia, entretenho-me a contar os anos em que a Anne Enright não foi nomeada.

Um pormenor interessante. As páginas que apresentam os livros, têm excerto em texto e audio.

E bolas, o excerto do livro da Anne Enright é mesmo bom. Felizmente, está disponível na Everand (ex-Scribd).

Palestina / PEN

10.06.24

Este é mais um dos muitos textos esquecidos na minha pasta de rascunhos, que nunca viram a luz do dia.

 

A notícia dava conta que a organização PEN America recebeu bastantes críticas, por não defender suficientemente os direitos dos escritores palestinianos.

Mais de mil escritores norte americanos assinaram uma carta, exigindo um posicionamento oficial sobre a morte de 225 intelectuais palestinianos em Gaza.

Em resposta, muitos escritores retiraram suas candidaturas a prémios do PEN America, levando ao cancelamento da cerimónia deste ano.

Para ficarem com uma ideia, do prémio Jean Stein de 75 mil dólares, 9 dos 10 nomeados, retiraram a sua nomeação e este será doado a uma instituição de caridade palestina, respeitando o apoio da falecida escritora à causa palestina.

Porque a lista é muito longa, pedi ao ChatGPT que destacasse os mais conhecidos e este foi o resultado:

Roxane Gay: Uma das autoras mais influentes e bem-sucedidas da atualidade, Roxane Gay é conhecida por suas obras de não-ficção como "Bad Feminist" e o livro de memórias "Hunger". Suas obras abordam temas como feminismo, raça, corpo e cultura popular.

Curiosamente, nunca vi uma publicação a favor de um/a autor/a palestino/a na sua altamente curada página de Instagram.

Jesmyn Ward: Autora premiada e aclamada pela crítica, Jesmyn Ward escreveu romances como "Salvage the Bones", vencedor do National Book Award, e "Sing, Unburied, Sing", que também ganhou o National Book Award. As suas obras geralmente exploram as vidas dos afro-americanos no sul dos Estados Unidos.

Carmen Maria Machado: Conhecida pelo seu aclamado livro de contos "Her Body and Other Parties", que foi finalista do National Book Award, e pelo seu livro de memórias "In the Dream House", que aborda a violência doméstica em relacionamentos LGBTQ+.

Kiese Laymon: Autor de "Heavy: An American Memoir", um livro que recebeu vários prêmios e elogios pela sua honestidade brutal e escrita poderosa sobre questões de raça, peso e masculinidade na América.

Fatimah Asghar: Poeta e escritora, conhecida pelo livro de poesia "If They Come for Us" e pela co-criação da série de televisão "Brown Girls", que foi aclamada pela crítica e nomeada para um Emmy.

Alexander Chee: Autor de romances como "The Queen of the Night" e "Edinburgh", Chee é amplamente elogiado por sua prosa lírica e pela exploração de temas complexos de identidade, história e sexualidade.

Saeed Jones: Poeta e autor do livro de memórias "How We Fight for Our Lives", que ganhou o Kirkus Prize for Non-Fiction. Jones aborda temas de identidade, raça e sexualidade com profundidade e clareza emocional.

Mira Jacob: Autora de "The Sleepwalker's Guide to Dancing" e do inovador livro de memórias gráfico "Good Talk: A Memoir in Conversations", que explora questões de raça, identidade e pertença na América contemporânea.

Akwaeke Emezi: Um dos autores mais proeminentes da nova geração, Emezi escreveu "Freshwater" e "The Death of Vivek Oji", explorando temas de identidade, espiritualidade e sexualidade com uma voz única e poderosa.

Tommy Pico: Poeta conhecido por seus livros como "IRL", "Nature Poem" e "Junk", Pico traz uma perspectiva contemporânea e inovadora para a poesia, abordando temas de identidade, modernidade e cultura nativa americana.

 

Não estava a contar que a AI destacasse @s autor@s com um resumo tão interessante. Parece que tenho mais uma lista para a minha TBR.

Pág. 1/3